Skip to content

Chover e Cio da Terra

14 de junho de 2009
tags:

Chover (ou Invocação Para Um Dia Líquido)

Cordel Do Fogo Encantado

Composição: Lirinha; Clayton Barros

“O sabiá no sertão

Quando canta me comove

Passa três meses cantando

E sem cantar passa nove

Porque tem a obrigação

De só cantar quando chove*

Chover chover

Valei-me Ciço o que posso fazer

Chover chover

Um terço pesado pra chuva descer

Chover chover

Até Maria deixou de moer

Chover chover

Banzo Batista, bagaço e banguê

Chover chover

Cego Aderaldo peleja pra ver

Chover chover

Já que meu olho cansou de chover

Chover chover

Até Maria deixou de moer

Chover chover

Banzo Batista, bagaço e banguê

Meu povo não vá simbora

Pela Itapemirim

Pois mesmo perto do fim

Nosso sertão tem melhora

O céu tá calado agora

Mais vai dar cada trovão

De escapulir torrão

De paredão de tapera**

Bombo trovejou a chuva choveu

Choveu choveu

Lula Calixto virando Mateus

Choveu choveu

O bucho cheio de tudo que deu

Choveu choveu

suor e canseira depois que comeu

Choveu choveu

Zabumba zunindo no colo de Deus

Choveu choveu

Inácio e Romano meu verso e o teu

Choveu choveu

Água dos olhos que a seca bebeu

Quando chove no sertão

O sol deita e a água rola

O sapo vomita espuma

Onde um boi pisa se atola

E a fartura esconde o saco

Que a fome pedia esmola**

Seu boiadeiro por aqui choveu

Seu boiadeiro por aqui choveu

Choveu que amarrotou

Foi tanta água que meu boi nadou***

*Zé Bernardinho

**João Paraíbano

***Toque pra boiadeiro

O Cio da Terra

Composição: Milton Nascimento / Chico Buarque

Debulhar o trigo

Recolher cada bago do trigo

Forjar no trigo o milagre do pão

E se fartar de pão

Decepar a cana

Recolher a garapa da cana

Roubar da cana a doçura do mel

Se lambuzar de mel

Afagar a terra

Conhecer os desejos da terra

Cio da terra, a propícia estação

E fecundar o chão

blog da escola:

http://www.radiograciosa.multiply.com

AULA DE PORTUGUÊS – PROF. FÁBIO

One Comment leave one →
  1. Altamira permalink
    31 de julho de 2009 23:24

    No trecho de “Cordel do Fogo” Meu povo não vá simbora
    Pela Itapemirim
    Pois mesmo perto do fim
    Nosso sertão tem melhora…
    É uma passagem muito marcante para os retirantes do Nordeste, pegavam suas trouxas, em busca de uma vida de ilusões. Alguns deram certo, mais outros até hoje sofrem, com preconceito de sua etnia.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: