Skip to content

Castro e Pessanha – poetas portugueses

6 de fevereiro de 2008


SAFIRA

“ Morena é minha Amada, morena mas fermosa, como a Esposa do Cântico dos Cânticos. (…)

… Safira lhe chamei, por Safira a conhecem: mas só eu sei o verdadeiro nome dessa que é morena como o incenso, cheirosa como o bálsamo da judéia (…)

Há uma flor, arum dracunculos, flor maravilhosa para a vista, feita dos mais sedosos tecidos, corada das mais finas cores, mas repugnante para o olfacto, porque o seu cheiro é como o cheiro dos cadáveres.

As outras mulheres são para mim como essa flor: se a pelúcia de seus olhos, o veludo de seus cabelos, a seda das suas carnes me tentam e delas me aproximo, logo fujo espavorido, porque sinto o cheiro cadavérico de suas almas.

Há um flor, e desta ignoro eu o nome, que só de noite tem perfume; de dia ninguém a vê, ninguém a sente, mas à noite, ao luar, é tal o seu aroma, tão pertubante e tão subtil, que quem passar junto dela logo é tomado dum delíqui e cai no chão desmaiado.
Tal é a minha Amada (…).

eugénio de castro
EUGÉNIO DE CASTRO, in Jornal do Comércio, 39º ano, nº 11476 (Lisboa, 1892)

fonte: GUIMARAES, Fernando – POÉTICA DO SIMBOLISMO EM PORTUGAL

do mesmo livro copio o seguinte:

LIRISMO FRUSTE II

Foi um dia de inúteis agonias.

Dia de sol, tudo cheio de sol! Dia de sol, inundado de sol!

Fulgia o aço das espadas frias.

Dia de sol, tudo cheio de sol! Dia de sol, inundado de sol!

Foi um dia de falsas alegrias.

Dália a esfolhar-se, o riso seu magoado… Dália a esfolhar seu mole sorriso

Voltavam os ranchos das romarias.

Dália a esfolhar-se, o riso seu magoado… Dália a esfolhar seu mole sorriso

Dia impressível, mais que os outros dias.

Tão lúcido! Tão pálido e tão lúcito!

Difuso de teoremas e teorias… Tão lúcido tão pálido – tão lúcido

O dia fútil, mais que os outros dias!

Sorriam frouxas as ironias…

Tão lúcido! Tão pálido e tão lúcido! Tão lúcido tão pálido – tão lúcido

Camilo Pessanha


CAMILO PESSANHA
, in Ave-Azul, serie 1, fasc.6 (Viseu, 1899)

obs: a coluna à direita é parte de uma possível releitura musical que farei desta obra prima escrita.

No comments yet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: